Novo salário mínimo 2022 impactará os benefícios do INSS

Com a nova projeção do salário mínimo em R$ 1.177 os benefícios do INSS também passarão por mudanças.

Com a inflação em alta próxima aos 7%, a projeção para o salário mínimo de 2022 deve ter a maior alta desde 2016, quando naquele período a correção do valor chegou a 11,6%. O aumento, todavia, não representa ganhos reais aos trabalhadores, tendo em vista que a alta não compensa a perda que o salário mínimo teve com a inflação.

A título de informação o reajuste conforme o índice de inflação é concedido, pois, a Constituição determina uma revisão periódica de modo a preservar o poder de compra dos assalariados. Logo, se a inflação de 7% se conformar, o novo piso nacional será de R$ 1.177 no ano que vem.

No entanto, o aumento também acarreta mudanças para o INSS, tanto na questão de contribuições, aposentadorias bem como nas pensões. A seguir vamos te informar sobre todos os reflexos que o possível aumento trará no Regime Geral da Previdência Social (RGPS).

Qual valor será pago na guia do INSS em 2022?

Os cidadãos que realizam o recolhimento do INSS como contribuinte facultativo ou individual e que recolhem sobre o valor de um salário mínimo, até o dia 15 de janeiro de 2022, poderão realizar o pagamento da contribuição do mês de dezembro de 2021.

Sendo assim, o valor a ser pago referente ao mês de dezembro será o equivalente a R$ 1.100 (valor do salário mínimo atual).

Logo, somente a partir do mês de fevereiro de 2022 é que os recolhimentos terão como base o novo salário mínimo, e caso a projeção se confirme, de R$ 1.177.

Valor das aposentadorias e pensões em 2022

Para os benefícios equivalentes ao valor de um salário mínimo, o reajuste seguirá o próprio piso nacional, sendo assim, quem recebe R$ 1.100 este ano receberá R$ 1.177 em 2022, caso o índice de inflação se mantenha como previsto.

Com relação às aposentadoria e pensões com valores superiores ao salário mínimo, estes serão reajustados com base do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) bastando pegar o atual valor que recebem x o índice acumulado do INPC.


Segundo estimativas do governo, cada R$ 1 de aumento no salário mínimo representa uma alta anual de R$ 330 milhões nas despesas da União.


teste